Segurança nos centros de distribuição

Veja: Modal rodoviario perde R$ 2 bilhões ao ano com o roubo e o furto de cargas

Não é apenas nas estrada durante o translado que os produtos estão expostos ao risco de roubo. Os centros de distribuição também são alvos constantes de criminosos. Por isso, o gerenciamento de riscos  deve-se atentar também para a proteção dos locais de armazenamento.

Muros, gradis e alambrados que separam o ambiente externo do interno do site e as áreas operacionais e administrativas, bem como, portarias, guaritas, eclusas e salas técnicas para guarda dos equipamentos centrais de segurança, informática e telecomunicações todos devem ser detalhadamente estudados, desenvolvidos e implantados para assegurar total controle do fluxo de acesso de veículos e pessoas às instalações em geral e em especial às críticas.

Procedimentos de entrada, permanência  e saída devem ser claros e de conhecimento de todos que de alguma forma façam parte do público fixo ou temporário do site.  As áreas de carga e descarga devem ter os fluxos e rotinas desenhadas e normatizados de forma que irregularidades sejam de pronto percebidas. Inconsistências apontadas em relatórios de estoque devem ser motivo de sindicância e após investigação, se for o caso, deve-se proceder à abertura de processo para a criminalização dos culpados.

Os sistemas tecnológicos de segurança compreendidos como extensores dos sentidos dos vigilantes devem auxiliá-los nas tarefas de controlar o acesso, detectar a entrada de pessoas e objetos não autorizados nas instalações, reconhecer e identificar eventos de risco. Os sistemas de proteção periférica, alarmes, circuito fechado de TV devem focar não só a otimização quantitativa dos recursos humanos como também a maior eficácia operacional. O monitoramento remoto de alarme e vídeo realizado externamente por uma central de monitoramento é fundamental não só  para assegurar uma resposta de fora para dentro em caso de uma ocorrência, mas também, para preservar imagens do ocorrido.

A equipe de vigilância deve ser definida e estruturada com base em critérios qualitativos e quantitativos que assegurem o controle pleno dos processos de acesso de pessoas, veículos e mercadorias.

Por último os gestores do site devem atuar para que todos os membros do ambiente interno organizacional estejam conscientizados e comprometidos com a segurança do negócio.

Veja Também:
O mercado paralelo, raiz do roubo de cargas
Rastreamento, fundamental na gestão do risco  de roubo de cargas
As medidas de proteção devem englobar os colaboradores e as informações

Comentários encerrados.