Assaltos continuam ameaçando bares e restaurantes

Uma onda de assaltos continua atingindo bares e restaurantes de São Paulo. Desde o começo do ano, os eventos criminosos em estabelecimentos fizeram centenas de vítimas segundo registros nas delegacias, sendo os bairros de Pinheiros, Vila Madalena e Jardins os principais alvos.
O número, embora alto, está subestimado uma vez que muitos comerciantes deixaram de registrar ocorrências com medo de retaliação e danos à imagem. As ações ocorrem na forma de “arrastão”. São ações rápidas, de no máximo 10 minutos. Os criminosos chegam, rendem quem estiver próximo ao local e, posteriormente, entram no estabelecimento anunciando o assalto.
A maioria dos casos ocorre perto do horário de fechamento dos restaurantes e em dias de semana. Os assaltantes também preferem atacar estabelecimentos localizados em ruas pouco movimentadas. Como hoje mais de 95% das contas tem o pagamento realizado através de cartão, os caixas quase não têm dinheiro. Por isso os clientes são as principais vítimas dos criminosos, que levam bolsas, carteiras, joias e celulares.
O reflexo dessas ações é a decorrente diminuição do número de clientes, que evitam frequentar os estabelecimentos por conta desses crimes. Atualmente, esta é a maior insegurança por parte dos empresários do setor. E a pergunta fica: quais os mecanismos que podem ser utilizados para diminuir a incidência desse tipo de crime?

Veja Também
Arquitetura de bares e restaurantes precisa ser revista
Tecnologias aplicadas na segurança de bares e restaurantes
Segurança é responsabilidade de todos

Comentários encerrados.