Assaltos a residências e condomínios

As residências e os condomínios de alto padrão são alvo frequente de furtos e roubos (*), fato que se torna uma constante preocupação para moradores e visitantes.

Esse tipo de assalto é uma das práticas criminosas mais antigas. Iniciada por volta da década de 60, o ato foi tomando uma dimensão cada vez maior e nunca mais deixou de ocorrer. O fato cresceu ainda mais depois da popularização do conceito de condomínios horizontais pelo Brasil.

A região do Morumbi, em São Paulo, conhecida por abrigar mansões e prédios luxuosos, é a área de preferência de ladrões e assaltantes. Em janeiro deste ano a mídia divulgou a estatística dos assaltos a residências em São Paulo. Foram registradas, nos primeiros quinze dias do ano, 93 ocorrências, ou seja, uma a cada quatro horas. De acordo com a polícia, os crimes são mais comuns entre as 6h e 7h e no início da noite, quando as pessoas estão voltando para suas casas.

Não se consegue medir ao certo o verdadeiro número de roubos e furtos residenciais e em condomínios na cidade de São Paulo. A única certeza é que estes crimes vêm aumentando com frequência, com os criminosos agindo de forma altamente profissional, sem medirem esforços para atingir seus objetivos.

Infelizmente a rede social está colaborando com a atuação dos mesmos. Está ficando cada vez mais comum encontrar posts que estimulam e incentivam a criminalidade, principalmente o roubo a residências ou condomínios. Além de danos morais e dos físicos há perda financeira. São levadas jóias, dinheiro, eletro-eletrônicos, causando grandes prejuízos.

Para lidar com esse problema, medidas de segurança devem ser tomadas levando-se em consideração a ousadia e a engenhosidade dos criminosos que, constantemente, modificam seu modo de atuação.

Para esse tipo de criminalidade, quais as medidas de segurança cabíveis? Quais as artimanhas adotadas pelos criminosos? Quais tecnologias estão disponíveis no mercado para atender essa demanda? É possível falar em “casa segura” sem que esta interfira diretamente na privacidade e na intimidade das pessoas? A rede social analisada como uma das vilãs do crime.

(*) Furto: crime previsto nos artigos 155 do Código Penal Brasileiro e 203º do Código Penal Português
que consiste na subtração de bens alheios para si ou para outrem, com a finalidade de apoderar-se
em definitivo. É praticado sem emprego de violência contra a pessoa ou grave ameaça.
Roubo: é o ato de subtrair bens alheios, para si ou para outrem, mediante grave ameaça
ou violência a pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de
resistência.

Veja também:
Tecnologias utilizadas para a proteção de perímetros
As técnicas utilizadas pelos assaltantes
Segurança X Privacidade
Segurança x Rede Social

Comentários encerrados.